a poesia da contradição

eu sei que quase ninguém lê blogs hoje em dia. mas, hoje em dia, muita gente não faz muita coisa. por isso, criei um blog. tem gente que ainda faz. quase ninguém ainda deixa espaço pra alguém gastar um tempinho lendo letras que grudam uma na outra há tanto tempo. escrevo por amor desde que aprendi a juntar sílabas. como profissão, há três anos. esse espaço não tem pedido de pauta, não tem revisão, não tem filtro e não é um diário. é a produção literária de quem nunca soube o que fazer da vida, mas nasceu escrevendo sobre todas as possibilidades.

nas categorias, você encontra: despropósitos (textos não-ficcionais), propositais (textos ficcionais), poesias e diários de escrita. estou escrevendo dois livros ao mesmo tempo – que ideia idiota – e escrevo sobre isso. você pode escolher o que quer ler.

essa é a minha casa. peço que tire os sapatos, use o porta-copos e, por favor, não coma na sala. mas tem cerveja na geladeira e eu tenho um monte de história pra contar. você vem? pra entrar, é só clicar.